Sabe… Eu sou uma #Neymarfora. Eu sou uma fora da vida desonesta, desregrada e covarde desse mundo.

Sou daquelas (poucas) que respeitam a ‘ordem’ da fila, o ‘progresso’ do atendimento.

Sou daquelas pessoas que devolvem o troco errado na feira.

Sou daquelas que tentam, a todo o custo, travar o espertalhão que quer driblar o engarrafamento (e olha que, quem mora no entorno ou na cidade de São Paulo, conhece isso de cor e salteado) mesmo correndo o risco de bater o carro, só pela tentativa (infrutífera, bem sei) de tentar fazer-me entender no meu direito.

Sou uma #Neymarfora quando pago todos os impostos direitinho, mesmo que me doa, por saber que nada, NADA vai voltar em benefício para mim. Se tenho benefício é somente no plano de acúmulo de pontos do cartão de crédito.

Sou uma #Neymarfora quando aposto, com toda a fé do meu coração e alma, nas loterias, achando que, hoje, será meu dia de sorte.

Sem sorte no amor, sem sorte no jogo… E nem venha me falar nos sorteios fantasiosos da Nota Fiscal Paulista, que é pior que enterro de anão. Eu vejo um enterro e não vejo ganhador.

Sou uma #Neymarfora quando economizo cada gota de água e vejo uma (com todo o perdão, tanto pelo uso do termo quanto aos senhores idosos) uma ‘vaca velha’  lavando a calçada, esbanjando água e dizendo que está errada, mas “vou fazer!”. Do mesmo jeito que abomino o governo estadual que gastou sei lá quantos milhões de nossos salários para pagar aquela tal de chuva programada e que nunca vimos cair uma gota.

Sou uma #Neymarfora quando peço, de todo o coração, que o prefeito de BH refaça sua frase, idiota e infeliz, de que “acidentes acontecem”. Não, amigo. Acidentes não ‘acontecem’. Acidentes são ocorrências não previstas, algo que foge ao nosso controle. Uma pane nas turbinas de um avião, quando uma ave a invade é acidente. Acidente não entra na categoria do “podemos evitar? Ótimo! Façamos certo, então, para que não machuquemos pessoas inocentes. Engenheiros estudaram para essa #erda não acontecer, ok??? Que tal deixarmos de embolsar grande parte da obra para que a mesma seja feita de acordo com os inúmeros ISO’s??? Contenhamos em não roubar. Tanto, ao menos. Só nesta obra. Ou na próxima. Ou na próxima. Ou na… ”.

Sou uma #Neymarfora quando acredito nas pessoas… Mas as pessoas não creem uns nos outros. Só nelas mesmas.

No dia em que deixarmos de pensar somente em volta do nosso próprio mundinho medíocre e pensarmos mais em nosso entorno, no bem comum, no coletivo, talvez tenhamos uma chance, pequena, de termos nossos desejos pessoais atendidos, em nossos anseios alcançados.

Enquanto pensarmos como os Juan Zúñiga, Luis Suárez, PTistas, PMDBistas, o Zé que assalta, mata e foge, Whatever, o Zé II que não se doa no trampo, seremos um bando de  #Neymarfora que nunca reage pelo bem e, quando a faz, quebra o bem alheio, depreda bens públicos.

Somos um #Neymarfora e um #forasociedade, pois não sabemos votar, não sabemos escolher, não sabemos exigir, de  forma coesa e ordenada, nossos direitos.

Somos órfãos de Neymares e de governos. Somos órfãos de gente… Gente de carne, osso e coração.



E eu estava em Jacutinga, passando um domingo com meus pais e um ex-namorado. Era hora do almoço.

Entramos num restaurante, para “sondar” o ambiente.

Mas eu não vi o restaurante. Não vi as mesas, muito menos o cardápio. Não vi porque havia uma TV pendurada na parede e a imagem rodou, sumiu, gritou.

Paralisada, eu olhava para ela e pedia, mentalmente: “fala que é mentira, que é brincadeira, que não aconteceu. Por favor…”.

Em choque nós saímos do local. Meus pais me olharam e ficaram preocupados com o pranto largado em plena rua.

- O que aconteceu, filha?

- O Senna… O Senna…

- O que foi?

- Acidente… Sem chance… Morreu…

Lembro-me do clima de velório, na segunda, no banco. Uma amiga, Janete, chorava muito. Algum ser decidiu colocar no protetor de tela, controlado via rede, naquela época, as imagens do Senna. Era choro não disfarçado por todos os cantos.

Aquele olhar, perdido, pensativo, um dia antes… Coincidência, presságio, agouro, intuição. Assusta ainda hoje.

E aquele cortejo lindo… Milhares e milhares de pessoas nas ruas, honras de um chefe de estado. Ayrton era um chefe. Por mais que saibamos de seu comportamento competitivo, vingativo por vezes, esse homem tinha um mega coração.

E meus domingos foram mudados. Eu (e milhares de brasileiros) perderam o tesão pela F1. Até fomos, meu filho e eu, numa corrida em Interlagos, mas a magia acabou. Não sei se um dia volta.

Mas a história de Senna não acabou. Só tomou outro rumo.

E que fique, sempre, sua trajetória de vitórias, de lutas, de força, garra e fé.



Pequenas crianças. Sem maldade, culpas ou medos…

Mas deveriam ter medo. Medo daqueles que eram chamados de ‘pai’ e ‘mãe’. Medo daqueles que os geraram, cuidaram.

Perdoem o desabafo, mas por que esses monstros fazem isso com crianças? Por quê????

Por que pedem a guarda, os dias de visitas? Para que as madrastas, padrastos, com inveja, ciúme, raiva desmedida, insana, injustificada os matem?

Onde, ONDE, está o amor, o carinho e respeito no coração, na ALMA dessa gente mesquinha, rude, violenta?

Onde está o amor?

Onde está a responsabilidade de cuidar de um ser, ao recebê-lo como filho no seio da família???

Será que nossos filhos podem confiar em nós, seus pais? Quantos e quantos pequenos, após verem na mídia, casos absurdos como esses, não sofrem em silêncio, com medo??

Será que teremos que nos ‘acostumar’ com casos assim?

Eu não aceito acostumar! Eu não aceito ler sobre isso.

Eu não aceito sequer pensar que eu possa conviver com um monstro desses.

Eu tenho medo, muito medo do ser ‘humano, inteligente, racional’…



Episódio 2 – Primeira Temporada

Efetivamente, meu primeiro dia sem “E”… Nem quero pensar que ainda faltam 29 dias porque vou começar a chorar e não escreverei mais nada!

Limpei a casa. De leve, nada de substancioso, mas o chão está limpo, os quartos, banheiros… Aliás, para quê 2 banheiros? Penso seriamente em interditar um e assim ele aguenta esses vinte e no… Oppppsss… Esses dias de caos.
Para que 2 quartos, gente??? Na verdade o ideal seria fechar o apê e fazer nossa mudança para o hotel, do outro lado da rua. Cama limpa, chuveiro, camareira, serviço de quarto, wi-fi… Só me falta a grana para pagar.

Não suporto mais lavar louça! Tenho certeza absoluta que há um gnomo habitando este lar e que este ser maléfico tem o desprazer de usar tudo o que tenho nos armários. Mal desvio o olho da pia e pratos, potes, copos sujos brotam! Sim, amigos, ele brotam! Tenho uma plantação de louça suja na cozinha!!! Cultivada, regada, adubada e cuidada pelo maldito gnomo!

Amanhã farei uma mega compra na loja de artigos para festa, ali no outro quarteirão. Hoje dei uma namorada em pratos, talheres e copos descartáveis. Cada um mais lindo que o outro. Coloridos, alegres, de novo, DESCARTÁVEIS. Usou e puffff… Somem no lixo. Sem lavar, sem reutilizar. Um dia jantamos em azul, noutro em vermelho, depois em verde e assim vamos.

Na tentativa de manter calma e a ordem imposta, não haverá carne de panela nessa casa por 30 dias. Não haverá carne espalhafatosa na frigideira, que espirra óleo até no térreo. O que me faz ter o péssimo lembrete de que tenho 5 (C.I.N.C.O.) quilos – QUILOOOOOSSSSS – de tomate na geladeira que serão transformados em molho, daqueles que explodem bolhas quentes no fogão inteiro.

Escrevi “água” e lembrei que preciso molhar as plantas… Devo lembrar também em comprar tudo de plástico. Não murcham, não morrem no sol, no máximo ficam empoeiradas e só precisamos de um espanador. Básico.

Só não está básico o espaço na lavanderia. O varal está cheio de roupa seca, prontinha para encararem o ferro. Vocês nem sabem a alegria que sinto por esta novidade em minha vida. Mas preciso trocar o forro da tábua, que “E” não avisou que estava rasgado…

Amanhã haverá uma pequena comemoração em casa… Seis pessoas, seis pratos, seis copos, seis garfos, seis facas, sei lá quantas colheres, panelas, travessas… Na boa: é falta (demais) de educação pedir que cada convidado lave o que sujou???




"A vontade pode e deve ser um motivo de orgulho superior ao talento." Balzac

"Quem atinge o seu ideal, ultrapassa-o precisamente por isso." Friedrich Nietzsche

"O homem sensato adapta-se ao mundo. O homem insensato insiste em tentar adaptar o mundo a si. Sendo assim, qualquer progresso depende do homem insensato." Bernard Shaw

"Todos os nossos sonhos podem se realizar, se tivermos a coragem de persegui-los." Walt Disney