workshop.jpg
Imagem: Ambifood

A empresa em que trabalho juntou-se à outra, americana, e as coisas estão mudando um pouco praqueles lados. Mais e-mails informativos, várias mudanças na área de tecnologia (já disse aqui no site sobre o mega-projeto em TI) e promovendo Workshops, dividindo os funcionários em várias turmas, 4 horas de conversa e algumas atividades.
E lá fui eu, 8 da manhã, para o hotel, cumprir tabela. Digo assim porque não vejo muita utilidade nessas atividades. Senão, vejamos:
* Show de elogios à empresa;
* Show de elogios à diretoria da vez;
* Show de elogios à capacidade de mudança, de visão e empenho;
* Show de frases feitas para impressionar os funcionários.

O discurso muda pouco: “você deve dar o sangue” ou “você deve dedicar-se integralmente” ou “você faz parte dessa equipe (ou time), por isso, o sucesso da empresa é o seu também” e outras semelhantes. Nós, os “velhacos” de profissão, com quilômetros e quilômetros rodados já sabemos isso de cor e salteado. Alguns TR ou JR ainda são capazes de se impressionarem com isso, principalmente no primeiro emprego. Depois, essa ladainha cai na mesmice e pronto! Estes workshops acabam virando somente desculpa para matar meio dia de serviço, comparecer e assinar a lista ou, nos melhores casos, um coffee break decente. Só.
Não me sinto bem fazendo aquelas “atividades lúdicas”, tipo, fingir que sou amiguinha, sorrir igual tonta. Isso sem contar que tenho até medo de fazer alguma observação e ser obrigada a falar em público ou pagar algum mico. Principalmente quando começa aquela história de troca de mesa, de partner, de seu conhecido por um que você nunca viu na vida e que, na mesma tarde, ao cruzar contigo no corredor, nem vai olhar para a sua cara!
Mas o pior de tudo é quando nós vamos “discutir a empresa” e levantamos o assunto – inevitável – da remuneração, plano de cargos e salários, reconhecimento profissional. Ou eles acham que somos idiotas, com a palavra piscando em neon na testa, ou acreditam MESMO que vamos engolir a historinha de que você será reconhecido quando apresentar trabalho, produção, grana no bolso dos donos e acionistas! Ok. Eu trabalho lá desde abril. Trago serviço para casa em finais de semana. Cubro dois funcionários que saíram. Chego cedo e saio tarde. Almoço em 20 minutos. Cadê meu aumento??? Veio? AHA!
As empresas, todas, rezam o mesmo terço “À nós, tudo! Ao vosso reino, nada.” quando se trata de recompensar um bom funcionário. Ao mau funcionário cabe demissão. Ao bom, mais serviço, já que ele dá conta, assume, tem iniciativa, é pró-ativo (não suporto este termo!). E na continha, não vai nada???
Não sei quem foi o brilhante inventor de Workshop e palestras deste tipo, mas deve estar ganhando uma grana violenta. Provavelmente o que eu, e tantos outros profissionais, deveríamos ganhar quando damos o sangue, dormimos pendurados em mesas, durante longas madrugadas, deixamos de lado família, lazer, tranqüilidade e descanso. Tudo em nome da “empresa”.


Autoria:
Sandra Pontes


Comunidade do site no Orkut.
Participe.


®
TEXTO REGISTRADO. PROIBIDA REPRODUÇÃO SEM PRÉVIA AUTORIZAÇÃO. SUJEITO ÀS PENALIDADES PREVISTAS NA LEI 9.610/98 DE DIREITOS AUTORAIS.
PLÁGIO É CRIME! E OS TEXTOS CONSTANTES NA INTERNET POSSUEM UM AUTOR. PENSE NISSO ANTES DE USAR O COPIAR/COLAR.



Posts Recentes:


Comments


This entry was posted on Tuesday, November 13th, 2007 at 7:22 pm and is filed under Minha Opinião (ou Minhas "Achices"). You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

9 Corajosos!!!


  1. Chris Saudade on November 13, 2007 8:43 pm

    Olá Sandra… primeiramente quero agradecê-la pela visita ao meu blog! Infelizmente estive sem net por uns tempos e só hoje vi seu comentário. Primeiramente eu jamais disse que não gosto que copiem meus gifs,alias se estão em meu blog é justamente para que as pessoas levem mas sem link direto, só isso! Segundo, o texto Sunzinha eu recebi sem os créditos e achei muito lindo por esse motivo postei-o em meu blog,se soubesse que é seu jamais teria retirado seu nome, postei o texto exatamente como recebi, mas gostaria de te pedir permissão para deixá-lo lá, claro que com os devidos créditos porque penso que um texto como esse deve ser levado aos quatro cantos do mundo. Me desculpe se de alguma forma de prejudiquei, jamais tive essa intenção mas sim a de divulgar uma ótima obra! Parabéns pelo seu belo trabalho! Beijos,
    Chris Saudade.

  2. gugala on November 13, 2007 9:22 pm

    quem inventou o workshop ou gostava de café ou de break, ou de ambos.

  3. Erika on November 13, 2007 10:13 pm

    prá dormir na hora da projeção.. rsrs

    beijos

  4. Cadinho RoCo on November 13, 2007 10:59 pm

    Belíssima publicação desabafo descrição do que há de mais ridículo nessas grandes empresas que cismam com esses treinamentos débeis mentais. Riquíssimo de detalhes preciosos e pra lá de pertinentes.
    Cadinho RoCo

  5. Jacque on November 14, 2007 12:21 am

    No incío do texto vc disse tudo! “Vc tem que dar o sangue” ! Tem que dedicar-se integralmente”. É lavagem cerebral, filha! rsrsrsrs

    E no final, depois que vc deu o sangue e caiu doente por isso, o que eles fazem? Te demitem; fazem os acertos (alguns na justiça) e antes mesmo que vc receba alta, anunciam a sua vaga para contratação de novo funcionário. Quando muito, dizem: “Era um bom funcionário, mas a vida é assim mesmo; não se cuidava direito…”

    Por isso que nunca me adaptei aos hospitais particulares – não são diferentes de outras empresas que não são da área de saúde.
    Beijos e já tirei o pó do meu blog, viu?

  6. Edu on November 14, 2007 9:40 am

    Minha viagem foi tudo isso MAIS passeio de barco. 🙂 Pelo menos isso…

  7. Kith on November 14, 2007 4:49 pm

    E o pior é quando terminam com a música “Como uma onda”! Aí dá vontade de sair gritando….
    Beijos

    huahuahuahuahuahuahuahua… Esse final apoteótico eu não conhecia!!!

  8. Nilson Barcelli on November 15, 2007 12:15 pm

    Sandra, você está cheia de razão.
    Mas está a ficar velha… eu também…
    O pior é quando no final de uma workshop dessas nos perguntam com que opinião ficamos, da sua utilidade, etc., etc.
    Já me aconteceu ter de mentir descaradamente… tratava-se de uma workshop cujos formandos foram seleccionados pelo nível hierárquico em diagonal e eu era o mais qualificado… está a imaginar os grandes elogios que eu fiz para os mais novos não se suicidarem logo ali…

    Mas você sabe que não é a trabalhar que se ganha dinheiro.
    Ser consultor, tal como os animadores dos workshops, que apenas sabem vomitar a cassete que lhes meteram nos cornos, isso sim, dá dinheiro e muito.
    Mas eles sabem que você sabe que aquilo é uma trampa…
    Como tal, faça como eu. Durma com os olhos abertos e uma vez em cada hora faça uma pergunta previamente preparada, daquelas de catálogo e bem retorcidas… aí, toda a gente vai pensar que você não só está atenta ao programa como também tem dúvidas de nível superior.

    Ainda a propósito dos consultores, lembrei-me de uma frase que também pode ser dita, do Fernando Pessoa comentando um outro pretenso escritor, ainda que de outra forma, aos apresentadores: “Que calças, que talento…!”

    Beijinhos

    PS: você só deve visitar e comentar no meu blogue quando quiser e puder; não se sinta obrigada a lá ir como se fosse a mais uma workshop… mas eu sei que gosta do que eu escrevo; é esta a principal razão por que a visito… gosto muito de ir lendo o que você escreve.

  9. João M. on November 15, 2007 11:20 pm

    O rei da Espanha deve ter feito uma falta danada nesse workshop. 🙂
    Beijos

Nome (requerido)

Email (Segredinho nosso)

Site ou blog

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Deixe seu recado (que pode ser devidamente editado, ignorado, respondido, deletado... Depende do meu humor!)

"A vontade pode e deve ser um motivo de orgulho superior ao talento." Balzac

"Quem atinge o seu ideal, ultrapassa-o precisamente por isso." Friedrich Nietzsche

"O homem sensato adapta-se ao mundo. O homem insensato insiste em tentar adaptar o mundo a si. Sendo assim, qualquer progresso depende do homem insensato." Bernard Shaw

"Todos os nossos sonhos podem se realizar, se tivermos a coragem de persegui-los." Walt Disney